Inverno 2013/14: Excepcionalidade? – Discussão final e conclusões

Inverno2013-2014_headA Associação Portuguesa de Meteorologia e Geofísica (APMG) organizou, com o apoio do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), no dia 22 de Maio de 2014, um colóquio com o título “Inverno 2013/14: Excepcionalidade?”. Tal como o próprio nome indica, procurava-se avaliar como decorreu o Inverno 2013/14 e verificar se este se poderia classificar como pouco habitual ou mesmo excepcional, após uma definição mais rigorosa do significado do último termo (excepcional).

O evento reuniu 80 participantes, entre professores, investigadores, técnicos, jornalistas e estudantes. O interesse pelo tema do encontro estava ligado às situações de tempo severo que ocorreram em Portugal Continental ao longo deste Inverno, com diversas ocorrências de temporais, em particular temporais de mar, estes últimos com grande impacto na costa ocidental portuguesa.

As inscrições no colóquio revelaram um leque muito alargado de instituições presentes mostrando, mais uma vez, a importância da realização deste tipo de eventos, bem como, curiosidade sobre o Inverno 2013/14.

publico

As conclusões gerais que foi possível extrair foram as seguintes:

  • Ainda que a terminologia associada à palavra excepcional não seja bem definida é possível afirmar que o Inverno 2013/2014 trouxe condições de temporal no mar muito gravosas, associadas a um período de retorno de cerca de 25 anos.
  • As condições de tempo no interior de Portugal Continental, não parecem ter apresentado valores que ultrapassassem níveis de excepcionalidade, quer no vento, quer na precipitação.
  • A explicação para este fenómeno, poderá estar ligada uma anomalia da temperatura do ar à superfície associada à prevalência de ar polar no Continente Norte Americano, com temperaturas muito negativas no Canadá e no Leste dos EUA, que vieram a condicionar o tempo na Europa.

Informação detalhada sobre o debate pode ser consultada em: Discussão final e conclusões